skip to main | skip to sidebar

EU, ELDER F.


Livros, filmes, fotografias e histórias contadas pela metade.

Resenha: 'As Idades de Lulu' - Almudena Grandes

Na minha estante, entre os clássicos da literatura erótica como Henry Miller e D. H. Lawrence, também permeiam autores mais novos que conquistaram minha atenção pela publicidade em cima de seus nomes, não exatamente pela qualidade de seus textos, como E. L. James. Na roda de amigos, a minha prateleira de livros eróticos já tem sua fama, principalmente depois de eu ter comentado, por brincadeira, que em face dos momentos mais difíceis da vida eu me pego abrindo "A Casa dos Budas Ditosos" do João Ubaldo Ribeiro para encontrar conforto nas sacanagens e nas gargalhadas provocadas em mim pela narradora. Assim, quando comecei a ler "As Idades de Lulu", clássico da literatura erótica mundial, não me impressionei com o sexo constantemente presente nos seus parágrafos, mas com a complexidade dos personagens que tentam encontrar a si mesmos no próximo.

"As Idades de Lulu", primeiro livro da autora espanhola Almudena Grandes, ganhou a décima edição do célebre concurso de romances eróticos La Sonrisa Vertical em 1989, ano de sua publicação. Desde então, a autora e sua obra foram acompanhadas por inúmeros aplausos e vaias da crítica, que davam aos leitores de sua história apenas duas opções: amá-la ou odiá-la. No ano seguinte, o diretor Bigas Luna delegou a atriz Francesca Neri a tarefa de dar vida ao personagem que Almudena criou, fazendo com que o sucesso da obra alcançasse um público ainda maior, algo que lembra o que está acontecendo com "Cinquenta Tons de Cinza", ainda que as duas histórias só se assemelhem em um aspecto: ambas discutem, despertam e estimulam a sexualidade de seus leitores. 

Ao ser seduzida por Pablo, amigo de seu irmão mais velho, Lulu inicia uma fase um tanto quanto "Lolita" de sua vida, que a faz, depois de finalizado esse momento de experimentação, viver com lembranças constantes do homem mais velho que despertou a sua sexualidade. Quando mais tarde retorna para a vida de Lulu, Pablo se transforma em seu mundo, seu universo privado onde o tempo não tem valor, mas o mundo idealizado de Lulu se quebra quando, aos trinta anos, ela começa a entrar no inferno dos desejos proibidos. Ainda que o sexo seja o lubrificante que mantém o enredo ligado, "As Idades de Lulu" é diferente das histórias eróticas de amor encontradas em bancas de revista porque no romance o amor sucumbe à incompatibilidade. Os personagens da história de Almudena tem uma psicologia profunda que os define e os tornam únicos.

"As Idades de Lulu" começa forte e prossegue de maneira intensa, ainda que em alguns momentos eu tenha sentido como se o enredo não se movimentasse ou não fizesse sentido, especialmente quando a autora parecia criar cenários propositais para incluir o sexo em suas mais variadas formas, o que tem uma certa lógica se analisado o contexto da obra. O romance foi escrito em uma época em que editores queriam abrir caminho para o romance erótico na Espanha e, por isso, eles iam atrás de obras controversas que conseguissem ir adiante no mercado editorial, o que é o caso de "As Idades de Lulu", que viu sua fama ainda mais impulsionada pelo filme de 1990.

"Senti um estranho regozijo, sodomia, sodomizar, duas de minhas palavras prediletas, eufemismos frustrados, muito mais inquietantes, mais reveladores do que expressões grosseiras que substituem com propriedade; sodomizar, verbo sólido, corrosivo, que desata um violento calafrio pela coluna vertebral."

Durante a leitura, tive sentimentos mistos e, em geral, acho que a leitura teve sentimentos mistos em relação a mim também. As cenas narradas em "As Idades de Lulu" são extremamente visuais e explícitas, escritas com uma linguagem chula que dá a impressão de ser excessivamente (e propositalmente) vulgar, como que para despertar algum sentimento no leitor. As cenas de sexo não se restringem apenas ao universo heterossexual, pois o envolvimento de Lulu é com pessoas, não com rótulos, revelando a criatividade da autora. No entanto, o desenvolvimento da história e a desordem da narrativa, que certamente fazem alusão a própria desordem da vida da personagem, fizeram com que eu me perdesse entre a realidade e as fantasias de Lulu.

Ao criar uma personagem tão complexa, Almudena deixou com que Lulu assumisse sua própria história em dados momentos da obra. Não sei se a autora se perdeu com a personagem ou se a personagem se perdeu da autora, mas a vida própria que a personagem assumiu na narrativa fez com que eu não conseguisse deixar o livro de lado. Ainda que sim, o sexo esteja em toda parte em "As Idades de Lulu ', é importante apegar-se aos detalhes para que não se termine a leitura achando que a mesma fica neste nível mais superficial. O romance claramente retrata pessoas do nosso dia-a-dia, que buscam encontrar a si mesmas no outro através do amor, ainda que esse amor se manifeste como posse, poder, prazer e, às vezes, solidão.


Título: As Idades de Lulu

Título original: Las Edades de Lulú

Autora: Almudena Grandes

Ano da edição: 2015

Ano da publicação original: 1989

Editora: Bertrand Brasil

Páginas: 252

14 comentários:


  1. Olá, tudo bem?
    Depois de uma experiência horrível com 50 Tons de Cinza (que eu já imaginava péssimo, mas precisava ler pra poder ter argumentos pra criticar), nunca mais li nada erótico. Sua dica parece mais madura e interessante, e eu nunca tinha ouvido falar desse livro.
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais maduro que Cinquenta Tons sim, Priih, principalmente por sair daquela linha "garota indefesa e cara rico e dominador". Nesse caso, ambos dominam como podem e com o que possuem.

      Excluir
  2. Oi, Elder!
    Esse livro me lembrou muito 100 Escovadas Antes de Dormir. Acho que segue a mesma linha de raciocínio.
    Anotei a dica pois fiquei muito interessada em ler depois dessa resenha maravilhosa.
    Beijos e seguindo
    Balaio de Babados | Participe da promoção Natal do Babado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiza, já tive vontade de ler 100 Escovadas, mas um dia andando com meu amigo Frederick pelo shopping ele apontou pra esse livro e disse "nossa, que livro ruim". Desde então, perdi a vontade.

      Excluir
  3. Amei a resenha, eu amo ler livros eróticos, desde que eu amei ler a trilogia de 50 tons, agora vou começar a ler o Grey e estou ansiosa.
    Já baixei esse livro para ler depois.
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim já baixou, mulher? Não faça isso!

      Excluir
  4. Oi, Elder. Os livros com assuntos ou abordagens eróticas não me interessam em nenhum aspecto. Não falo isso por antipatia ao gênero, mas porque tentei com muitos livros e a leitura simplesmente me deixa estasiado.
    Blog: Consumidor de Sonhos | consumidordesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ycaro, entendo, mas fico curioso pra saber com que livros tentaste... pois acredito que livros mal escritos podem traumatizar alguns leitores.

      Excluir
  5. Oi
    Parece ser um livro interessante, eu até leio livro desse gênero, mais não é meu preferido
    nem conhecia a autora,.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já conhecia pelo nome e de muito tempo! Uma tia minha tinha esse livro e rodava pela família inteira :P

      Excluir
  6. Oi Elder!
    Preciso confessar que o erótico não é o meu estilo e esse não parece ser um livro que me faria mudar de ideia. Gosto de personagens complexos, mas o contexto não me atraiu.
    Mais uma vez, gostei da sua contextualização da obra, especialmente porque eu nunca tinha ouvido falar no livro.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Eu não conhecia o livro, e admito que quando vi a capa pensei que fosse um suspense.
    A capa tem cara de "possessão", mas nesse caso, vejo que é outro tipo de "possessão", afinal é um livro erótico. Há um grande tabu em assuntos como esses, vejo que muitas pessoas parecem ter problemas com esses tipos de livros. Mas, quando são clássicos, atualmente, parecem ser "menos julgados negativamente". Eu não costumo ler livros eróticos, para falar a verdade, eu já li um (tinha um aviso: conteúdo adulto) que se chama AFTER e é um livro adolescente. Só não entendo o porquê de um livro adolescente vim com uma aviso desses. Mas até que não havia muitas cenas assim não, apesar de ter.
    Sua resenha é sempre muito fantástica e inteligente. Parabéns!
    http://letrasfloresecores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ri alto aqui em "vejo que é outro tipo de 'posessão'".

      Obrigado, Ruan!

      Excluir
  8. Oi!
    Gostei da sua resenha, mas não leio livros assim. Eu comecei a ler à pouco tempo e ainda estou nos romances e fantasias... nada de livros eróticos. uehueheuheuh
    - quase colorida ☆

    ResponderExcluir