skip to main | skip to sidebar

EU, ELDER F.


Livros, filmes, fotografias e histórias contadas pela metade.

Como comprar livros em português no exterior: jeitinho brasileiro

Mês passado bateu uma vontade de ler Jorge Amado, que nem às vezes bate uma vontade de comer uma tapioquinha, então fui no site da Amazon atrás de livros em português e achei Capitães da Areia do escritor baiano por $27 (R$90). Uau, conclui, então não é tão difícil assim comprar livros em português no exterior. 

Preço de Mar Morto na Amazon: $51.92
De empolgado, fiz uma busca por Morangos Mofados do meu tão amado Caio Fernando Abreu e tomei um susto: $60 (R$205) por uma versão de bolso. Não lembro, agora que vasculho a minha memória atrás de dívidas de cartão de crédito, um momento da minha vida em que eu tenha pagado mais de R$100 em um livro. Fui dormir pensando "que pena, que pena", pois não tem um "beautiful eyes" que se sobreponha a um "olhos de cigana oblíqua e dissimulada".

No dia seguinte, mudei a abordagem e decidi buscar por lojas brasileiras que fizessem entrega para o exterior. Li aqui e acolá e o nome da Livraria Cultura se destacou no meio das demais, ainda que alguns comentários do Reclame Aqui indicassem que alguns livros não estavam sendo entregues em alguns lugares. Mesmo desconfiado, comprei três livros: Capitães da Areia (R$48), Gabriela, Cravo e Canela (R$63) e Mar Morto (R$48). No total, acabei pagando R$222 ($64) pelos três livros se levado em consideração o valor do frete. Nada mal, visto que sempre que boto o pé na Barnes & Noble acabo gastando algo em torno desse valor.

Com o risco assumido e a nova dívida no cartão de crédito, agora só me restava esperar. A data prevista de entrega era 04/05, ou seja, dois meses depois da compra. Mais uma vez, não me abalei, pois vindo de Belém já estou acostumado a esperar meses para receber as minha encomendas. Vida que segue. 

Mar Morto, Gabriela, Cravo e Canela e Capitães da Areia
No início dessa semana (09/04), uma agradável surpresa: uma nota dos correios foi deixada na porta da minha casa comunicando uma entrega que precisava de assinatura. "Não poder ser", pensei, "chegou mais rápido em Billings, Montana do que chegava em Belém, Pará". Não apenas podia ser, como eram os meus três livros do Jorge Amado. A única inconveniência foi a necessidade de ter que assinar, o que me fez ir até os correios receber a encomenda, mas fora isso, já comecei a ler Gabriela e ah!, que saudade de ler literatura brasileira.

Se eu tivesse comprado os três livros na Amazon, o total em média teria sido de $118 (R$ 404), o que é quase duas vezes mais caro do que o valor dos três livros na Livraria Cultura com o frete incluso, $64 (R$222). No fim do dia, mesmo com a espera, que não foi tão ruim quanto eu imaginava que seria, e com o valor do livro um pouco acima do valor dos livros por essas bandas dos Estados Unidos, a empreitada foi vantajosa. 

O melhor de tudo é que depois de ter testado a aprovado o serviço da Livraria Cultura, agora posso comprar livros em português de autores menos conhecidos que de um jeito ou de outro eu não encontraria por aqui, nem em inglês e nem em português. Não apenas isso, mas agora posso ler e marcar meus livros como bom marcador que sou, posso emprestá-los para os amigos que se desafiam no português e, mais importante, posso reler os meus trechos favoritos todos os dias, visto que já li os três livros antes.  Agora, se vocês me dão licença, Gabriela, Nacib, Pedro Bala, Sem Pernas e Guma estão esperando por mim.