skip to main | skip to sidebar

EU, ELDER F.


Livros, filmes, fotografias e histórias contadas pela metade.

Resenha: 'Amante Sombrio (Irmandade da Adaga Negra)' - J. R. Ward

Se desde o início o plano dos vampiros era viver em completo anonimato, gostaria de informá-los que o plano falhou. O início do século XXI vive uma febre vampiresca que domina desde a literatura até as séries de televisão, criando um sem fim de teorias sobre o modo de vida dos nossos amigos sanguessugas e estereotipando até onde podem sobre suas características pessoais e habilidades paranormais. Um desses mitos criados é de que algumas mordidinhas salientes de um vampiro na jugular humana poderiam transformar um humano em um vampiro. Mas, então, quem transformou o primeiro vampiro em vampiro? É uma brecha nas teorias criadas que podem deixar qualquer vampiro ingênuo em uma crise existencial: "de onde eu vim?" e "para onde eu vou?".

Ou seja, não bastasse as questões existenciais inerentes à raça humana, agora também temos que lidar com as questões existenciais vampíricas. No entanto, entre tantos mitos sobrenaturais e narrativas sombrias, surgiu uma série de romance paranormal, desenvolvida pela norte-americana J. R. Ward, que possui uma abordagem sobre vampiros diferente das habituais e onde algumas questões existenciais referentes ao mundo vampírico foram respondidas (vampiros do mundo, sintam-se compreendidos). O nome da série é Irmandade da Adaga Negra (IAN para os mais chegados) e a série conta a história de uma irmandade de vampiros guerreiros que lutam para proteger sua raça contra a Sociedade Redutora, que é uma ordem de assassinos que possui como único objetivo erradicar a espécie dos vampiros. Os redutores são os peões da Sociedade Redutora, eles são humanos sem alma que ajudam a figura mística e maligna chamada Ômega a extinguir a raça dos vampiros.

De início, é importante saber que os vampiros, pelo menos no enredo criado pela J. R. Ward, não surgiram do acaso. Uma força mística conselheira do rei, dotada de grandes poderes e chamada Virgem Escriba, trouxe os vampiros à existência por meio de seu único ato capaz de criação. Os vampiros criados, espécie à parte do Homo sapiens, precisam beber sangue do sexo oposto para sobreviver, sendo sangue de outro vampiro, ainda melhor, pois o sangue humano os mantém vivos, mas não por muito tempo. Os vampiros não podem converter humanos por meio de mordidas, os vampiros já nascem vampiros, mas precisam passar por um momento humano em seu ciclo de vida. Quando nascem, vivem como humanos até as características vampíricas aparecerem por volta dos 25 anos (é como se fosse a  nossa puberdade, quando hábitos estranhos começam a acontecer), onde passarão pelo processo de transição, um processo doloroso que pode levar o vampiro à morte se ele não beber  do sangue de um outro vampiro do sexo oposto durante tal rito de passagem.

Nota-se que, de uma forma ou de outra, os vampiros da série, assim como nós humanos, possuem suas faces de Deus e Diabo que são representados nos seres místicos Virgem Escriba e Ômega. Essa questão espiritual ainda é meio confusa para mim, pois, como dito no parágrafo anterior, a Virgem Escriba é conselheira do rei. Ora, mas quem é esse rei? O pensamento que surge é o que o rei é um ser ainda mais superior que essas duas entidades conflitantes, algo, portanto, como Deus. Teoria que pode até ser sustentada pelos diálogos entre os vampiros, onde se percebe expressões do tipo "Graças a Deus!", "Pelo amor de Deus...", etc. J. R. Ward utiliza tantas referências espirituais famosas que até, vejam só,  reencarnação existe na história, o que a torna ainda mais intrigante.

"Poxa, Elder, mas você contou a história toda, cara". Não, não contei. Saibam que até agora o que disse é apenas o que consta no Glossário do livro. Ou seja, a própria autora é tão ciente do universo complexo que ela desenvolveu que a própria resolveu criar um Glossário de Termos e Nomes Próprios para auxiliar aos leitores. E é nesse universo paranormal que se desenrolam as guerras, acontecem os romances e onde as doses de sangue e violência são elevadas ao extremo.

Amante Sombrio é o primeiro livro da série IAN e é centrado na história de Wrath, um vampiro estilo macho-alfa que exala poder e sensualidade por todos os poros de seu corpo. Wrath faz parte da Irmandade da Adaga Negra junto com outros poderosos vampiros como Darius, Tohrment, Vishous, Phury, Zsadist e Rhage. Darius, um desses poderosos vampiros, possui uma filha mestiça, Beth, metade humana e vampira, que não sabe de seus precedentes e que viveu a infância em orfanatos depois da morte de sua mãe. Darius nunca entrou em contato com a filha, deixando-a sem saber de sua condição humana-vampira, e, ainda pior, deixando-a sem saber que perto dos 25 anos passará pela sua transição para se tornar vampira e que irá precisar de um vampiro do sexo oposto para se alimentar, caso contrário, não resistirá ao processo de transformação e sucumbirá.
Darius, sabendo que a filha Beth necessita, para completar a transição com sucesso (e, mais ainda, com vida), de um vampiro macho para se alimentar, recorre ao irmão da irmandade Wrath que, de início, recusa a proposta. Mas o destino muda a ordem dos acontecimentos e Wrath acaba oferecendo ajuda pra Beth na sua transição, conhecendo-a e auxiliando-a sobre the vampire way of life. Esse drama criado entre os três personagens não acontece sozinho, enquanto Darius busca por ajuda para a filha, vampiros continuam sendo assassinados por membros da Sociedade Redutora e batalhas sangrentas envolvendo vampiros e redutores continuam ocupando espaço nos becos da cidade. Contar o resto da história seria spoiler do mais frio ao sem piedade, portanto, na história eu termino aqui.

O texto é em 3ª pessoa e mostra, às vezes em apenas um único capítulo, diferentes linhas de raciocínio. No enredo linear que dá sequência a história é possível sentir de tudo, de sono até excitação. Eu, por exemplo, permaneci entediado até um dado momento da história (para ser específico, até o capítulo 14), quando, de repente, a história dá uma reviravolta do tipo que faz a gente se endireitar no sofá, ajeitar os óculos e abrir bem os olhos para começar a ler com atenção. Um dos pontos fortes da narrativa é a objetividade: sem muitos rodeios e sem informações desnecessárias que nada influenciam na história, a narrativa segue limpa. Essa direção ao objetivo deixa o livro não tão poético, ou, como costumo dizer, não é o tipo de livro que se dê pra tirar muitas frases para colocar no About Me do Facebook (a não ser que você não veja problemas em colocar frases como "a ponta de seu pênis deslizou com perfeição, e ele mergulhou no corpo dela com uma poderosa arremetida").

Existem mais nove livros da série publicados no Brasil e acredito que até o décimo livro a escrita da autora já esteja muito amadurecida, o que me deixa ainda mais curioso para chegar logo ao décimo. Os outros livros centram suas histórias em outros personagens, o que dá pluralidade a série e deixa o leitor ainda mais curioso para conhecer os detalhes das vidas dos outros vampiros da irmandade. Já comecei a ler o livro que dá sequência a Amante Sombrio e até as duas próximas semanas eu já espero estar entendendo direitinho todo o universo vampiresco tanto espiritual quanto material que foi criado pela J. R. Ward.

Título: Amante Sombrio (Irmandade da Adaga Negra)

Título Original: Dark Lover

Autor(a): J. R. Ward

Editora: Universo dos Livros

Ano da Edição: 2009

Número de Páginas: 448

22 comentários:


  1. Quando fiquei sabendo do que se tratava o livro pensei "oh não, mais um livro de vampiro", mas o enredo desse daí me atraiu, pois propões novos "conceitos" pra esse mundo já antigo dos vampiros. Sobre a resenha, nem preciso dizer que ficou muito boa, e muito bem-humorada. ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei o universo criado sensacional, sempre que ele é explorado a autora consegue prender a atenção do leitor.

      Excluir
  2. AMEEEEEEI tua resenha!!
    Nunca li nada de IAN, tua explanação sobre a a origem da raça vampírica ajudou bastante a clarear algumas dúvidas que eu tinha sobre o livro.

    "não é o tipo de livro que se dê pra tirar muitas frases para colocar no About Me do Facebook (a não ser que você não veja problemas em colocar frases como "a ponta de seu pênis deslizou com perfeição, e ele mergulhou no corpo dela com uma poderosa arremetida").
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK BOA!!! xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, né... ele não é tão poético assim, MAS as pessoas mais românticas talvez achem alguma "frase de efeito" pelo livro.

      Excluir
  3. Parabéns pela resenha Elder! Já li os oito primeiros volumes de Irmandade da Adaga Negra e curti bastante. Estou lendo agora Amante Libertada e estou gostando. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Vanessa. Então, já li Amante Eterno (II) e não gostei dele, achei muito chato de verdade, muito romance... depois do dia 20 eu vou ler o que ainda falta da série e dou meu parecer sobre.

      Excluir
  4. Ah, Elder!
    Como sempre, me diverti com você (e não estou te chamando de palhaço. Ê.)

    Gostei da resenha e de algumas tiradas (rs), me senti ouvindo a sua voz enquanto lia ^^

    Beijos e parabéns.

    PS: Só estou precisando de 400 dinheiros (aproximadamente) para continuar a leitura da série, me ajuda? Huahsuahuahsauhasua Okay. Já sei a resposta xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Éééégua! Mas 400 dinheiros é muito... Eu até tô com sorte pois a minha distribuidora é uma amiga e ela super tem todos e tá me emprestando.

      Excluir
  5. Elderito, ri demais da tua resenha.
    Como sempre, tua escrita é linda e chama bastante a atenção.
    Sobre o livro, nem precisava dessa resenha pra me deixar curiosa com a série.
    IAN está na minha lista de pirações futuras. (Aguarde os fragmentos no meu Facebook. Ê! HAHA)

    Beijos e abraços.

    ResponderExcluir
  6. "não é o tipo de livro que se dê pra tirar muitas frases para colocar no About Me do Facebook (a não ser que você não veja problemas em colocar frases como "a ponta de seu pênis deslizou com perfeição, e ele mergulhou no corpo dela com uma poderosa arremetida"). OMG Morri!!!! kkkkkkkkkkkkkkk


    Adoooooooooreeeeeeeei a resenha!!!! Muito muito muitooo!!!! ♥

    Adoro seu jeito de escrevê-las, um modo super divertido e interessante de falar sobre livros! Sou tua fã! =D

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Sou super fã da Série da Irmandade da Adaga Negra!
    Parabéns pela resenha, o Wrath é dos meus favoritos, mas depois de ir lendo os outros livros, ficou difícil de dizer qual é o meu preferido! Já li até o 4º livro Amante Revelado, e é muuito bom!

    Beijão, obrigada pela visita no meu blog!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu terminei o segundo CURIOSÍSSIMO pra ler a história do Zsadist, mas já tô gostando do Vishous também... espero que não demore pra eu chegar no livro dele.

      Excluir
  8. eu ainda não li nenhum mais estou com o livro 9 acredita?
    gostei mt de sua resenha!
    parabéns
    bjs
    e obrigada pela visita!
    www.leituradeouro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Isso que é uma resenha de verdade. Enfim.

    Eu estava meio inseguro quanto a essa série. Admito que tenho estado muito preconceituoso com o tanto de séries que têm sido publicadas e com gêneros como chick-lit, e tal. Mas me pareceu interessante da maneira que falaste e acredito que irei procurar depois de terminar a pilha de sobrenatural que tenho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, eu sou um pouco preconceituoso com chick-lit também, mas às vezes procuro dar uma chance. Se bem que IAN não é totalmente chick-lit, se a autora quisesse ela pode tirar o romance que permeia a história e ainda assim deixá-la super interessante.

      Excluir
  10. Muito interessante a resenha! Fiquei com vontade de ler agora! hehe

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. A Barbara ja falou muito sobre esse livro agora com essa renha mais um para minha nada pequena lista de livros que eu tenho que ler.

    Parabéns pela resenha...
    ~mais uma vez não gostei dessa renha~ pois só fez almentar a minha lista :D

    ResponderExcluir
  12. Ainda não li esse livro, apesar de todo mundo já ter lido e amar.
    Gostei muito da resenha, dá pra entender um pouquinho do universo complexo presente livro.

    Até mais,
    http://pitadadecultura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Confesso que nunca li nenhum livro e a primeira vez que vi o livro no Submarino pensei um livro com nome de amante? haha.. Pois bem, não julgue o livro pela capa se aplica aqui né, só que ao invés de capa diriamos q não julgue o livro pelo titulo, claro depois eu li um pouco sobre o livro e o achei interessante.
    Parabens pelo blog e pela resenha,
    boa noite e beijos

    ResponderExcluir
  14. Resenha magnífica. Explicou o que nos espera sem dar spoiler \o/
    Eu nem sabia que essa série tinha esse diferencial na raça vampira, como sua origem, forma de vida etc. Fiquei ainda mais curiosa.
    Amei seu blog. Tem um ótimo conteúdo, sendo assim, já estou seguindo ;)
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  15. Adorei a resenha! Foi bem reveladora =D
    Eu nunca quis apostar nessa série porque, ao meu ver, é meio grandinha e eu já dei uma pausa nos livros de vampiro. Entretanto, parece-me que há diferenciais bem interessantes que me atraíram muito...
    Quem sabe eu não dou uma chance?

    Adorei o blog! Parabéns!

    Beijos, Lê
    http://palaciodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Confesso que li o primeiro livro da série e não gostei. Assim como a cena citada por vc, todas as partes hot do livro só falam de pênis, se me permite dizer. hauhauhauha E outra, achei algumas partes da história bobinhas, como algumas fan fictions que eu já tive a oportunidade de ler, ou melhor, até parecido com algumas escritas por mim quando eu tinha meus 14 anos. huahuahauha Sei lá, tenho curiosidade em ler o restante da série pra ver se melhora como dizem, mas digo que nem tão cedo isso vai acontecer. O.o

    ResponderExcluir